Gente eu não agüento mais…
parece que Facebook virou o lugar da ataraxia e da morte da fantasia e da criatividade.
A maioria das pessoas limitam-se a publicar imagens bonitas encontrada na internet, muitas vezes correlatas a sentencias filosóficas ou moralistas, cujo autor é freqüentemente desconhecido à maioria das pessoas e, em algum caso, ao mesmo autor do post. Florescem as declarações de filiação a um ou a outro dos inumeráveis grupos ético-filosófico que emaranham a rede; cada declaração, na forma de simpático quadrinho, compartilha o mesmo esquema gráfico-sintático: uma imagem (irônica ou acusatória) acompanhada pela escrita “Se você é contra (a favor, lindo, feio, professor, encanador, pedreiro….) compartilhe isso.”
Todo mundo sabe a respeito, e por isso fala-me, do que faz bem e do que faz mal, sendo que muitas vezes o conselho poderia valer tanto para o bem quanto para o mal.
No Facebook valem os axiomas: político é corrupto, artista é explorado, professor é irremunerado, bicho é lindo, natureza é paz e assim para frente, até chegar ao axioma supremo, o pai de todos os dogmas: “Está na internet? É verdade!”. Eu perdi a conta de quantas vezes recebi a comunicação que “segunda que vem, o planeta Marte se encontrará na sua posição mais próxima da terra… será visível no tamanho da lua… esse fenômeno acontece a cada duzentos anos”. Para começar, se isso fosse verdade, não precisaria de comunicação alguma porque cada um de nós, ignorante ou no dos assuntos astronômicos, seria capaz de surpreender-se com outro astro do tamanho da lua brilhando no céu. Para concluir, esse evento de uma raridade centenária, parece acontecer a cada poucos meses; isso demonstra a sua total incongruência ou que a relatividade do tempo, expressada pelos físicos quânticos, tem efeitos muitos maiores em nossa vida daqueles esperados pelos mesmos físicos.
E só porque é noticia da ultima hora: viram que linda lua azul no céu neste final de Agosto?… Verdade? Viram? Saibam porem, que, lua azul é o fenômeno astronômico pelo qual a lua fica cheia duas vezes no mesmo mês. Acontece raramente mas quando acontece não quer dizer que a lua é colonizada por um bando de smurfs.
Essas são só duas das besteiras publicadas regularmente no Facebook (e na internet inteira). Poderia continuar elencando infinitos exemplos; para cada aspecto do conhecimento humano, existe uma o mais dessa noticia “verdadeiramente verdadeira”.
Na verdade, o que peço, é que volte-se a humanizar e personalizar um pouco mais essa incredível ferramenta que é o Facebook. As redes sociais, quando inteligentemente usadas, têm contribuído para derrotar ditaduras (como na primavera árabe), para bloquear leis injustas ou para salvar até únicas vidas. O que custa evitar publicar qualquer coisa, só para o gosto de publicar. Assim as coisas importantes não ficariam perdidas num mar de superficialidade.
Ao invés de compartilhar um pensamento de Ghandi, Buddha, Nietzsche ou de qualquer outro grande homem, por que não compartilham um comentário gerado por vosso cérebro sobre esses grandes homens; sobre um pensamento especifico ou a respeito da vida deles. Contrariamente a quanto possa parecer, digitar Ctr+C e logo em seguida Ctr+V, não desenvolve o coeficiente de inteligência (o mesmo vale para pressionar gostei ou compartilhar).
Ao invés de compartilhar apresentações do Power Point ou fotos de paisagens lindíssimas quanto improváveis e absolutamente anônimas, por que não compartilham uma foto pessoal, um momento íntimo que consiga transmitir emoções interiores. Por que não anexar um comentário “pensado” e, justamente por isso, interessante.
Ao invés de compartilhar fotos de seu novo carro, roupa, brinquedo ou parecidos, por que não me falam do porquê a compraram. Compartilhem emoções não procurem a inveja dos outros… pessoalmente, eu não estou nem aí.
Ao invés de proclamar axiomas, porque não explicar porque são a favor ou contra alguma coisa. Talvez vocês possam até me convencer ou talvez eu possa passar a trocar idéias com você, na base de conversa educada e civilizada.
Ao invés de repassar qualquer noticia sensacional só porque parece sensacional, porque não gastar um pouco de tempo e averiguar se é trata-se de verdade ou não (não é difícil; na mesma internet, com uma simples pesquisa, dá para descobrir muitas coisas a respeito de qualquer assunto).
Em conclusão, tentando ser não muito prolixo, eu não quero demonizar o Facebook, mas porque não tentar utilizá-lo de uma forma mais inteligente e produtiva. Afinal, Facebook em si mesmo, é só uma ferramenta e come todas as ferramentas pode ser utilizado de muitas formas: uma faca pode tirar vida ou cortar o pão que me alimenta todos os dias.
Por favor, pensem nisso.